Sobre a Igenomix

Serviços de genética que apoiam os
profissionais da medicina.

Equipe

Carlos Simon MD, PhD

CSO

X

Prof. Carlos Simón M.D.; Ph. D.

Certificado pelo Conselho e Professor Titular de Obstetrícia e Ginecologia da Universidade de Valência, na Espanha; Professor Adjunto Clínico do Departamento de Obstetrícia/Ginecologia, Faculdade de Medicina da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos; Professor adjunto do departamento de Obstetrícia/Ginecologia do Baylor College of Medicine, também nos Estados Unidos, e Diretor Científico da Igenomix.

 

Pioneiro desde 1991 nos estudos sobre o endométrio humano (Ruiz-Alonso M et al., Biochim Biophys Acta. 2012; 1822(12): 1931-42), viabilidade do embrião (Thouas GA et al., Endocr Rev. 2015; 36(1): 92-130) e mecanismos que regulam a implantação do embrião humano (Cha J, Vilella F, Dey SK

and Simón C. Science, 2013, pp. [44-48]).

Descobriu a relevância funcional do sistema interleucina-1 na regulação de receptividade e implantação embrionária humana (Simon et al., Endocrinology 1994) e demonstrou o efeito deletério de altos níveis de estradiol na receptividade endometrial em pacientes com alta resposta a gonadotrofinas, modificando prática clínica estabelecida e iniciando o conceito de estimulação suave (Simon et al., Human Reprod 1995). Seu laboratório demonstrou a existência e a prova funcional do conceito de humano células estaminais endometriais (Cervello et al., PlosOne 2010, 2011, 2012).

Usando tecnologia de microarray, descobriu a assinatura transcriptômica da receptividade endometrial humana, publicando a descoberta em 20 obras como primeiro ou último autor (Ruiz-Alonso M et al., Fertil Steril 2011), um deles é o artigo mais citado na revista Molecular Human Reproduction (Riesewijk et al., Mol Hum Rep 2003). A tradução clínica deste trabalho resultou em uma patente para a criação de uma matriz de receptividade endometrial personalizada (ERA) para o diagnóstico molecular da receptividade endometrial em pacientes inférteis, a criação de uma empresa de biotecnologia (www.igenomix.com) e a criação de um acesso gratuito banco de dados de expressão de genes endometriais (www.endometrialdatabase.com) gerenciado pela Universidade de Valência.

Em uma análise bibliométrica independente de publicações em Biologia Reprodutiva entre 2003 e 2005, foi identificado como o nono cientista mais produtivo do mundo (Gonzalez-Alcaide G et al., Fertil Steril 90: 941-56, 2008).

Desde 2001, seu trabalho em embriologia humana permitiu expandir as pesquisas no campo das células-tronco, resultando na derivação, caracterização e registro no Banco Nacional de Células Monetais (BNLC) de dez embriões humanos linhas de células-tronco (VAL-3,4,5,6M, 7,8,9,9 / Out-4, 10B e 11B). Fui pioneiro na primeira derivação de linhas células-tronco embrionárias na Espanha e descreveu um novo sistema para o congelamento dessas células com ausência de contaminantes de animais.

Realizou as primeiras linhas de derivação na Espanha do gene VAL-6M, em relação ao transtorno monogênico (Distrofia Myotônica Tipo I), que foi utilizado como modelo de doença por outros pesquisadores. Participou das linhas VAL em um estudo colaborativo demonstrando a falta de diversidade genética nas linhas celulares usadas mais comuns no mundo (Mosher JT et al., N Engl J Med 2009).

Este pioneirismo possibilitou a criação do Nó Valência do Banco de Células Monetais espanhol em 2004, localizado no Centro de Pesquisa Príncipe Felipe e, de setembro de 2009 a setembro de 2011, onde foi Diretor Científico deste Centro de Pesquisa.

Junto com sua equipe, tem trabalhado na geração de gametas artificiais usando reprogramação direta com 6 fatores relacionados à linha germinativa em células somáticas humanas (Medrano JV, et al., Sci Rep. 2015 na imprensa).

Recentemente, criou um modelo de predição para a aneuploidia no desenvolvimento precoce do embrião humano revelado por análise de célula única. (Vera-Rodriguez M, et al., Nat Commun. 2015 na imprensa), juntamente com o impacto de conteúdo do DNA mitocondrial como um score de viabilidade em embriões euploides humanos (Diez-Juan A, et al., Fertil Steril 2015). Sua opinião sobre este tema foi considerada em um artigo recente em Cell Stem Cell (Diez-Juan A & Simón C. Cell Célula tronco. 2015 7 de maio; 16 (5): 457-8).

Como pesquisador principal, seu trabalho foi financiado através de 18 projetos patrocinados pelo Governo Espanhol, 4 pelo Governo Valenciano, incluindo 2 PROMETEO (concedidos a cientistas de prestígio) e 16 projetos de organizações internacionais, universidades americanas e empresas privadas.

 

Métricas: Autor de 423 publicações em jornais/revistas científicas (em peer-review) somando um impacto acumulado de 1.962.505. Seus trabalhos receberam um total de 16.459 menções com uma média de 39 menções por artigo. Possui um H-Index de 70 e foi editor de 18 livros. Upated Pubmed Publication List: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/myncbi/simon_c

 

A qualidade do seu trabalho foi reconhecida pela Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva, Sociedade para Investigação em Ginecologia, Sociedade Espanhola de Obstetrícia e Ginecologia, e Sociedade Espanhola de Fertilidade. Dr Carlos Simón recebeu o Prêmio Jaime I de Investigação Médica em 2011 e o ASRM Distinguished Research Award em 2016.

 

Personal website: www.carlos-simon.com

David Jiménez

CEO

X

David Jimenez possui especialização em Ciências Empresariais e MBA pela ESADE Business School. Com mais de 15 anos de experiência em Finanças Internacionais em indústrias de bens de consumo e 8 anos no setor de cuidados de saúde. Desenvolveu a maior parte de sua carreira internacionalmente, tanto na Europa quanto na América, trabalhando na Suíça, Estados Unidos, México e Espanha.

Executivo com uma vasta experiência em empresas privadas e públicas, emergentes e Fortune 500. Durante sua carreira, teve diferentes responsabilidades nas áreas de Marketing, Finanças, Desenvolvimento de Negócios e TI, que lhe proporcionaram uma visão ampla dos negócios.

Tem estado em posição de gestão nos últimos 8 anos e desde 2011 é CEO da IGENOMIX, uma das empresas líderes em serviços de diagnósticos moleculares avançados especializada na área de medicina reprodutiva.

Marcia Riboldi, PhD

Diretora Igenomix Brasil

X

Biomédica em Análises Clínicas, Doutora em Ginecologia e Obstetrícia pela Universidade de Valencia (Espanha), trabalhou em diferentes linhas de pesquisa relacionadas a células tronco adulta e embrionárias no Brasil (Hospital de Clínicas de Porto Alegre) e Exterior (Centro de Investigação Príncipe Felipe e Fundação IVI – Espanha, Universidade de São Francisco California, USA).

Atualmente, especializada em Gestão Estratégica de Negócios pela FGV, controla a operação do Laboratório IGENOMIX em todo o território nacional, como Country Manager, Diretora do Laboratório e Responsável Técnica.

Possui uma vasta experiência clínica e laboratorial na Área de Reprodução Humana Assistida, com passagens em alguns dos principais serviços do Brasil (Fertilitat Centro de Reprodução Assistida e Huntington Medicina Reprodutiva) e no Exterior (Instituto Valenciano de Infertilidade – IVI – Espanha, Genera – Itália).

Na área de Diagnóstico clínico, possui ampla formação nas 3 fases de Diagnóstico Genético Pré-implantacional (FISH, CGH-array, NGS). Além da Personalização de tratamentos com novas ferramentas genômicas como: testes, painéis e plataformas genéticas.

Envolvida em Pesquisas relacionadas sobre a receptividade endometrial, a implantação embrionária, a qualidade embrionária, a frequência de mosaicismo e a testes não invasivos.

Juliana F. Cuzzi, PhD

Diretora Científica

X

Graduada Ciências Biológicas Modalidade Médica pela UNESP - Botucatu (2000), possui Mestrado (2004) e doutorado (2008) em Genética pelo Departamento de Genética da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP. Realizou o seu doutorado em parceria com as Universidades de Toronto – Princess Margareth Hospital, Toronto, Canadá (2004 e 2005) e Autônoma de Barcelona, Bellaterra, Espanha (2007 e 2008).

Possui experiência na área de Genética Humana e Médica, com ênfase em Citogenética-Molecular aplicada ao Teste Genético Pré-Implantacional (PGT-A), tendo como tema de sua tese de doutorado a aplicabilidade da Hibridação Genômica Comparativa (CGH) no PGD. Foi a primeira geneticista no país a realizar o estudo dos 24 cromossomos em células embrionárias.

Ao longo dos seus 17 anos de carreira, totalmente voltados para a Genética da Reprodução Humana, foi sócia-diretora de um laboratório de diagnóstico genético pré-implantacional, onde além de se responsabilizar pela inserção de novas metodologias diagnósticas também prestava atendimento aos casais buscavam aconselhamento genético voltado para o PGT.

Desde julho, atua na Igenomix Brasil como Diretora Científica onde se responsabiliza pela consultoria técnica dos clientes Latam, além do aconselhamento genético dos pacientes que buscam os nossos serviços.

Bruno Coprerski

Lab Manager

X

Graduado em Ciências Biológicas pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e mestrado em Morfologia/Genética pela Universidade Federal de São Paulo. Possui experiência na área de Bioquímica, com ênfase em Biologia Molecular, e também no ambiente clínico e laboratorial relacionados ao estudo de anormalidades cromossômicas em embriões e espermatozoides, utilizando as diferentes técnicas de aCGH e NGS utilizados no diagnóstico genético pré-implantacional. Atualmente exerce a posição de Laboratory Manager do laboratório Igenomix Brasil.

  • logo_globo.png
  • LOGO-THEGUARDIAN.png
  • LOGO-BBC.png
  • El-pais Logo.png
  • LOGO-LEFIGARO.png

Inscreva-se para receber notícias